Exercício no combate ao envelhecimento celular

As células do corpo humano de maneira geral estão em constante processo de envelhecimento e renovação. Para o bom funcionamento de vários sistemas, é necessário que as células envelhecidas sejam substituídas por novas células saudáveis. Algumas das alterações negativas ocorridas durante o processo de envelhecimento podem ser causadas por falhas na renovação celular e “substituição” de alguns componentes celulares envelhecidos.

As células e seus componentes (organelas e estruturas) estão em um constante estado de renovação que envolve a ação coordenada de muitos processos, sistemas e moléculas. As principais organelas são destacadas pois sua renovação e funcionamento adequado são essenciais para a saúde celular.

Senescência é o nome dado ao envelhecimento celular, é importante entendermos isso, porque citaremos este termo outras vezes no texto.

Terapias que possam afetar de maneira positiva esses processos podem trazer melhoras significativas nas funções do organismo e possivelmente prevenir algumas patologias ocasionadas pelo mal funcionamento celular.

O exercício surge como um dos candidatos ao combate de diversas patologias desenvolvidas de maneira crônica e apresenta diversos benefícios de maneira sistêmica que podem até certo ponto ser definidos também como antienvelhecimento à medida que ajudam a manter o bom funcionamento do organismo e das células, como células cardíacas, musculares, hepáticas e etc.

Com o avanço da ciência do exercício estamos ganhando cada vez mais entendimento sobre processos mais específicos e uma destas áreas diz respeito ao combate do envelhecimento celular (senescência).

Um estudo publicado por Yang e colaboradores (2018) buscou avaliar se o exercício resistido pode ter influência na remoção das células senescentes de indivíduos jovens, vamos considerar como uma espécie de “limpeza”. Para isso os participantes foram submetidos a uma sessão de treino e tiveram biópsias (pedaços do músculo) retirados para análise. Como resultado os pesquisadores observaram que o exercício foi capaz de reduzir o número de células senescentes provavelmente através da ação do sistema imune (infiltração dos macrófagos), o qual participa ativamente do processo de regeneração e resposta ao exercício. Vale ressaltar que as células envelhecidas analisadas foram células endoteliais dos capilares próximos ao músculo e tal fator pode contribuir para uma boa função endotelial e prevenção de problemas vasculares.

Ilustração a respeito do potencial do exercício no combate a senescência celular. O exercício parece alterar de maneira positiva as células do sistema imune que por sua vez participam diretamente do processo de renovação celular. Outros processos metabolicos podem ser alterados de maneira positiva favorecendo uma renovação celular eficiente como diminuição do dano ao DNA e stress oxidativo.

Obviamente que, este protocolo permite avaliar as alterações de maneira aguda, de maneira crônica, o estudo precisaria coletar a quantidade de células senescentes em repouso, submeter aos participantes a um período treinamento e coletar novamente a quantidade de células senescentes em repouso, ou marcadores da sua remoção. Contudo, temos algum embasamento para acreditar que de maneira crônica as alterações também sejam benéficas.

Tais descobertas tem grande importância à medida que prevenir o acumulo de células envelhecidas beneficia o bom funcionamento dos sistemas, e mais estudos analisando células de outras partes do organismo podem agregar mais informação a respeito do exercício como terapia contra a senescência celular. Nesse sentido a melhora da renovação celular induzida pelo exercício acrescenta mais um ponto importante para os benefícios da prática de atividade física, mais especificamente o que foi utilizado neste estudo, o treinamento resistido o qual possui outros inúmeros benefícios.

Abaixo a referência e o convite a leitura do estudo citado.

YANG, Chi et al. Aged cells in human skeletal muscle after resistance exercise. Aging (Albany NY), v. 10, n. 6, p. 1356, 2018.